Karl Heinrich Marx ( 1818 – 1883 )

KARL MARX

Filósofo alemão , foi autor de vários conceitos que fundamentaram a ideologia socialista – comunista do século XX.

Nasceu em Trier , filho de familia judia, e estudou filosofia nas Universidades de Berlim e Jena.

Em 1842 chefiou a redação do jornal Nova Gazeta Renana em Colônia, no qual escreveu artigos considerados radicais em defesa da democracia. Mudou-se para Paris em 1844 e lá conheceu Friedrich Engels.

Em 1848 publicou o Manifesto do Partido Comunista ,em parceria com Engels , em que defende a solidariedade entre os trabalhadores na busca de sua emancipação política e social .O documento defende uma revolução de caráter internacional que leve a burguesia e o capitalismo ao declínio , podendo assim implantar o comunismo.

A divulgação do manifesto provoca sua expulsão de Paris. Mudou-se para Londres, onde estuda história e economia , escreve artigos na imprensa e ajuda a fundar a Primeira Internacional dos Trabalhadores, que reúne partidos de esquerda de diversos países.

Em 1867 publica o primeiro volume de “ O Capital “, na qual expõe os seus conceitos ( chamados marxistas ) , como a teoria do valor , a da mais-valia e da acumulação do capital. Os outros volumes da mesma obra só são conhecidos após sua morte.

Anúncios

Grandes Economistas

Adam Smith  ( 1723 – 1790 )adam-smith

Economista britânico, que defendia que a teoria do valor era oriundo do “trabalho”.

Ele defende o combate aos monopólios públicos e privados, além de  defender a não-intervenção do estado na economia e a sua limitação as funções públicas de manutenção da ordem, da propriedade privada e da justiça.

Ele crê que a liberdade de negociação do contrato de trabalho entre patrões e  empregados é vital, e também defende o livre comércio entre os povos.

Para Smith, as ações de indivíduos agindo em seu próprio interesse, ao se somarem, formariam uma mão invisível que conduziria a economia pelo bom caminho do crescimento e da estabilidade.

Segundo Smith, a divisão do trabalho é necessária, porque com a divisão das atividades em uma manufatura, tenderemos a ter um aumento na escala produtiva.

Para ele , quando um mercado é reduzido, não é certo dedicar-se a uma única ocupação, novos mercados consumidores devem ser desbravados.

Para Smith, o trabalho é a medida do valor de troca de todas as mercadorias, onde cada atividade será valorizada segundo seu grau de dificuldade e sabedoria.

Ele trata  a quantidade de trabalho para fabricar um bem e a quantidade de trabalho necessária para comprá-lo como iguais.  Ele também conclui,  que a acumulação de capital antecede à divisão do trabalho, fazendo com que haja aprimoramento das forças produtivas, e assim ocorra um constante processo de  acúmulo de capitais.

David Ricardo ( 1772 – 1823 )

david_ricardo

Segundo o economista britânico, o capital pode ser classificado como  circulante ou fixo. O capital circulante pode girar ou voltar à aquele que o aplica, em períodos muito desiguais.

Exemplo: O trigo comprado por um lavrador para semente (plantio), é um capital fixo. Enquanto o trigo comprado pelo padeiro para fazer pão, é um exemplo de capital circulante. ( O padeiro pode transformá-lo em farinha, vendê-lo como pão e em curto período terá capital livre para repetir o que fez. )

Para Ricardo, sendo invariável a quantidade de trabalho, o aumento de seu valor promove uma diminuição no valor de troca das mercadorias em cuja produção se emprega capital fixo.

Quando a questão é a quantidade de trabalho,  Ricardo conclui que ele deve ser estimado pelo seu valor real, ou seja, a quantidade de trabalho mais o capital empregado para produzir a mercadoria mais o tempo para colocar o bem no mercado. Sendo que, os proprietários de terra viverão de renda da terra, os trabalhadores assalariados, de salários, e os arrendatários capitalistas, de lucros do capital.

Na Teoria das Vantagens Comparativas, ele demonstrou que duas nações podem beneficiar-se do comércio livre, mesmo que uma nação seja menos eficiente na produção de todos os tipos de bens do que o seu parceiro comercial .

Cada nação deve buscar seu bem estar econômico, dando prioridade ao que há de mais competitivo em sua economia.