Um fantasma do passado , presente e futuro… – por Moacir Pereira Alencar Junior

Há exatos 25 anos, era como se o Império Nazista não tivesse encontrado fim inglório nos escombros da chancelaria do Reich, em Berlim. Baixado o corpo à sepultura, após a oração fúnebre em alemão, cerca de vinte pessoas se adiantaram, ergueram o braço direito e bradaram três vezes: ” Heil Hitler” . Um deles ainda acrescentou, uma vez: “Heil Rauff “.

walter rauff

No dia 14 de maio de 1984 , no Cemitério Central de Santiago, no Chile, foi sepultado o antigo oficial da Marinha e depois comandante SS Walter Rauff , morto na véspera aos 77 anos, de câncer no pulmão. Rauff foi um herói de guerra nazista: inventou as câmaras de gás móveis, caminhões fechados, com saída para o escapamento do motor, nos quais foram asfixiados 97 mil judeus na Europa durante a II Guerra Mundial.

Juan Diego Dávila, um dos manifestantes nazistas,se justificou: “O tempo dirá como Hitler foi grande. Sua figura se levantará, como a de Napoleão ,sobre a de seus caluniadores”.

Rauff se refugiou no Chile em 1958, depois de passagens pela Síria e pelo Equador. Organizou uma fabrica de conservas de pescado e uma pequena empresa de navegação em Punta Arenas, no Sul do País. Alemanha Ocidental, Grã-Bretanha, França e Israel pediram insistentemente sua extradição – sempre negada, sob o argumento de que já tinha terminado o período legal para o julgamento. “Seria injusto expulsar uma pessoa que manteve, no Chile, um comportamento inatacável” – Defendia na época o então chanceler chileno, Jaime del Valle.

assista aqui : Funeral de Walter Rauff no Chile , onde manifestantes reverenciam Hitler e  Walter Rauff com honras nazistas


Anúncios