Diferente, Exclusivo ou Igualitário? O Mundo e suas facetas. – por Moacir Pereira Alencar Junior

Há palavras no mundo que são utilizadas com uma frequência espetacular. Elas possuem o poder tempestuoso de organizar e desorganizar, de promover revoluções e reações. São elas : diferença, exclusãoigualdade.

Você é alguém diferente ou exclusivo em meio a todos?

Segundo o dicionário Aurélio, organizado por Aurélio Buarque de Hollanda, a palavra  diferença tem origem do latim differentia e significa a falta de semelhança ou igualdade, dessemelhança, dissimilitude, diversidade . Em suma, o resultado da subtração de duas ou mais quantidades para os matemáticos.

Já a palavra exclusão tem origem no latim exclusione e significa ato de excluir, exceção, exclusividade. Isto mesmo, a palavra exclusão leva à exclusividade.

Assim como as duas palavras anteriores, a palavra igualdade também tem origem no latim aequalitate, que significa paridade, uniformidade, eqüidade, justiça.

Em nossa atualidade estas palavras são interpretadas das formas mais variadas e distorcidas possíveis. Certamente haverá alguém que lerá este artigo e dirá que estou distorcendo conceitos de grandes pensadores. Sintam-se a vontade para questionar meu pensamento e minha perspectiva adotada neste tema.

Partindo da ideia de que não há uma verdade oficial, uma vez que todos bradam por suas verdades individuais, me sinto no direito de dizer que neste artigo a verdade floresce de mim.

Se a história da humanidade sempre foi construída a partir dos confrontos entre diferentes e pelo reconhecimento da exclusividade de ser e estar em um determinado lugar e em um determinado posto hierárquico, por que criar tantos esquematismos  e cismos quanto a estas questões?

Com a Revolução Russa consolidada, na década de 1930, o principal líder dirigente da então URSS, Josef Stalin, sempre frisou que o socialismo não era um regime de iguais. O sistema social desejado por Stalin e que subsistiu até o fim da URSS era hierárquico, mas com ampla mobilidade para cima. Stalin admitia com absoluta franqueza que isto implicava uma estratificação. Em 1931, Stalin atacou como extremista a prática do nivelamento dos salários. Marx e Lênin, dizia Stalin: “escreveram que as diferenças entre trabalho especializado e não-especializado existiriam também no socialismo, mesmo depois da abolição das classes”.(Stalin, Sotchinenia,vol XIII , pp.77-80)

Em outras palavras, o Socialismo que sempre foi defendido como a bandeira dajustiça e eqüidade”, criou a exclusividade, a igualdade entre diferentes.

A derrocada do Socialismo levou a vitória do Capitalismo, da ideologia liberal e do mercado total. Com o Capitalismo as diferenças e o caráter de ser exclusivo conquistaram cada vez mais força e determinaram as relações sociais, políticas e econômicas.

Isto fez com que a igualdade fosse posta novamente em pauta, por meio de discursos que defendiam a ideia de que não havia diferença entre povos, culturas e nações. Afinal, todos possuem mesmos direitos e deveres como um cidadão do mundo, tal como diz a Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU. A defesa do Homem uno e indissociável como átomo foi um dos motivos da consolidação de milhares de movimentos sociais pelo mundo nos anos 1980.

Mas este grande momento de reverberação da igualdade nasceu das diferenças entre grupos. Afinal de contas, o que levava um professor secundário em Genebra a ganhar 56700 francos suíços em 1979, enquanto no Rio de Janeiro o salário anual era de 7350 francos suíços? Como iguais podem ser tratados de forma diferente como esta? Seria a construção de uma cultura que tem como base o respeito a tradição e a valores primordiais como a educação? Para efeito de comparação, no Rio de Janeiro no mesmo período um administrador ganhava em média anualmente  53040 francos suíços enquanto em Genebra o salário de um administrador era de 71760 francos suíços.

Estes dados mostram a diferença de pensamento de diferentes povos para assuntos primordiais para a busca da igualdade. A igualdade nasce do acesso a cultura, da busca pelo reconhecimento via mérito. E todos os grupos podem atingir este patamar de enriquecimento cultural, independente das diferenças e quistos sociais existentes.

A igualdade, em contrapartida, não pode existir na plenitude. A diferença é e continuará a ser a determinante das mudanças  existentes no mundo, seja no cultural , no econômico e no social. Caberá aos grupos mostrarem as ferramentas para caminhar rumo ao exclusivo dentro da diferença, e por consequência se afastar da ideia do igual.

A igualdade tem que se dar em diferentes grupos que buscam se adequar ao mundo visando suas exclusividades. A Diferença, A Exclusão, A Igualdade; formam um tripé que levará a um compreensão maior das relações e das conquistas multiculturais à humanidade.

O caráter da diferenciação, da exclusividade e da igualdade permanecerão no cerne da vida humana, criando e recriando duelos nas mais variadas áreas do conhecimento. Basta ao homem saber empregá-las, e com mais equilíbrio torná-las aceitáveis e passíveis de interpretação em meio a diversidade.


Anúncios

Karl Heinrich Marx ( 1818 – 1883 )

KARL MARX

Filósofo alemão , foi autor de vários conceitos que fundamentaram a ideologia socialista – comunista do século XX.

Nasceu em Trier , filho de familia judia, e estudou filosofia nas Universidades de Berlim e Jena.

Em 1842 chefiou a redação do jornal Nova Gazeta Renana em Colônia, no qual escreveu artigos considerados radicais em defesa da democracia. Mudou-se para Paris em 1844 e lá conheceu Friedrich Engels.

Em 1848 publicou o Manifesto do Partido Comunista ,em parceria com Engels , em que defende a solidariedade entre os trabalhadores na busca de sua emancipação política e social .O documento defende uma revolução de caráter internacional que leve a burguesia e o capitalismo ao declínio , podendo assim implantar o comunismo.

A divulgação do manifesto provoca sua expulsão de Paris. Mudou-se para Londres, onde estuda história e economia , escreve artigos na imprensa e ajuda a fundar a Primeira Internacional dos Trabalhadores, que reúne partidos de esquerda de diversos países.

Em 1867 publica o primeiro volume de “ O Capital “, na qual expõe os seus conceitos ( chamados marxistas ) , como a teoria do valor , a da mais-valia e da acumulação do capital. Os outros volumes da mesma obra só são conhecidos após sua morte.

Mao Tsé -Tung (1893 – 1976 )

mao-tse-tung

Líder comunista chinês , nasce em Shaoshan , filho de fazendeiro.

Torna-se professor de universidade de Pequim , onde toma contato com o marxismo.

Participa em 1921 , da fundação do Partido Comunista Chinês (PCCh) e cria seu braço armado , o Exército Popular de Libertação.

Em 1935 , com a derrota de seu exército para o Partido Nacionalista ( Kuomintang )  , lidera a Longa Marcha – 90 mil comunistas refugiam-se na região norte do país , percorrendo 9,6 mil quilômetros numa marcha de protesto contra o governo.

Em 1937 , nacionalistas e comunistas unem-se contra a invasão  japonesa na Manchúria.

Mas , depois da derrota do Japão na II Guerra Mundial , a disputa interna na China se reaviva.

Em outubro de 1949 , após intensa luta nas cidades , Mao proclama a República Popular da China.

Em 1958 , adota o Grande Salto para Frente , plano de desenvolvimento cujo  fracasso o faz ser afastado da liderança do Partido Comunista.

Em 1966 , recupera o poder ao lançar a Revolução Cultural.

Reata relações diplomáticas com os EUA e promove o ingresso da China na ONU em 1971.

Morre em 1976, em Pequim.

assista aqui: parte final de documentário sobre o poder político e a influência de Mao sobre a população chinesa – em espanhol