O Haiti do ano de 1957 até nossa atualidade – um breve histórico da nação mais pobre da América Latina.( parte 2)

Em 2008 , mais exatamente no mês de abril, dez dias de protestos violentos vieram a ocorrer em diferentes partes do país deixando cerca de 6 pessoas mortas. A crise ganhou maior proporção  pela alta do preço dos alimentos ,que vieram a duplicar neste período.

O então primeiro-ministro , Jacques-Édouard Alexis , foi afastado do cargo, para acalmar ânimos ,sendo que o Parlamento só veio aprovar um novo nome três meses depois. Quem assumiu em seu lugar , no mês de setembro, foi Michèle Pierre-Louis.

Michèle Pierre-Louis é membro da Fundação Conhecimento e Liberdade  ( Fokal ), ONG patrocinada por George Soros.

Exatamente, em setembro de 2008, o país foi devastado por tempestades tropicais e furacões, sendo contabilizadas mais de 500 mortes por inundações e 600 mil desabrigados.

Em janeiro de 2010, um terremoto de proporções horrendas (7 graus na escala Richter) atingiu o país a aproximadamente 22 quilômetros da capital, Porto Príncipe. Na sequência, foram sentidos no país múltiplos tremores. O palácio presidencial, várias escolas, hospitais e outras construções ficaram destruídas após o terremoto e estima-se que 80% das construções da Capital Haitiana foram destruídas ou seriamente danificadas. Em 03 de fevereiro, o Premiê Jean-Max Bellerive afirmou que já passavam de mais de 200 mil o número de óbitos, e o número de desabrigados poderia vir a chegar aos três milhões.

Vários países estão disponibilizando recursos em dinheiro para amenizar o sofrimento do país mais pobre do continente americano. Segundo a ONU, o sismo foi o pior desastre já enfrentado pela organização desde sua criação em 1945.

Anúncios