O Haiti do ano de 1957 até nossa atualidade – um breve histórico da nação mais pobre da América Latina.( parte 1 )

A eleição para presidente do médico François Duvalier, conhecido como Papa Doc, ocorreu no ano de 1957. Ao chegar ao poder, Papa Doc inauguraria um regime de caráter ditatorial , que tinha como base o terror de sua guarda pessoal ,os chamados tontons macoutes ( bichos – papões ).

A partir de 1964, como presidente vitalício, Papa Doc exterminou a oposição e perseguiu a Igreja. Em 1971, com sua morte, quem entra em cena é seu filho, Jean-Claude Duvalier , o Baby Doc.

O governo de Baby Doc durou 15 anos, e ficou conhecido internacionalmente pelo seu caráter autoritário e pela corrupção, o que promoveu milhares de protestos populares. A pressão popular fez com que Baby Doc fugisse para a França, e no ano de 1986, uma junta chefiada pelo general Henri Namphy assumiu o poder.

Durante o governo Namphy ,no ano de 1990, sob nova constituição, o Haiti realizou eleições presidenciais livres que vieram a eleger o padre esquerdista Jean- Bertrand Aristide.

Ao ser empossado, no ano de 1991, Aristide foi deposto no mesmo ano pelo general Raoul Cédras. Na época, a ONU e os EUA impuseram severas sanções econômicas ao Haiti para forçar a volta de Aristide. Após três anos, em 1994, o Conselho de Segurança da ONU decretou um bloqueio geral do comércio internacional com o país. Pressionados, os militares acertaram com os EUA a entrega do poder em troca de anistia. Nesta ocasião o país passou a ser ocupado por uma força de caráter multinacional, e Aristide reassumiu a Presidência.

No ano de 1995, o comando das tropas de ocupação veio a ser transferido para a ONU, e o Exército Haitiano foi dissolvido. O Movimento Lavalas – coalizão de partidos ligados a Aristide venceu as eleições legislativas de 1995 e elegeu René Préval. Em 1996, Aristide veio a deixar a coalizão governista e fundou o Partido chamado Família Lavalas (FL).

A eleição presidencial que ocorreu no ano de 2000 realizou-se em um clima de grande desconfiança , vindo a ser boicotada por partidos minoritários. A vitória de Jean-Bertrand Aristide foi esmagadora; ele foi eleito com mais de 92% dos votos e a Família Lavalas (FL) conquistou a quase totalidade das cadeiras em disputa.

No ano de 2002 ocorreram protestos populares contra o governo de Jean-Bertrand Aristide. Os protestos se agravaram quando o mandato dos deputados e senadores se encerraram sem a convocação de eleições, e Aristide passou a governar por decreto. Após a ocorrência deste fato , eclodiu-se uma rebelião armada contra o governo.

O fato ganhou repercussão internacional quando os EUA e a França passaram a pressionar Jean-Bertrand Aristide para que ele deixasse o governo. Perdendo sustentação política e popular, Aristide renunciou em 29 de fevereiro de 2004, exilando-se na África do Sul. A partir deste momento, a ONU aprovou o envio de 3500 soldados dos EUA , França, Chile e Canadá para o Haiti.

O então presidente da Corte Suprema, Boniface Alexandre, assumiu a presidência em caráter provisório , nomeando Gérard Latortue primeiro-ministro. Mas a violência prosseguiu, com a ação de grupos armados que exigiam o retorno de Aristide ao Poder. Exatamente neste momento, em junho de 2004, que passaram a chegar os primeiros militares da força de paz da ONU.

Após adiamentos por questões de segurança , as eleições foram realizadas em fevereiro de 2006. René Préval, apoiado pelos partidários de Aristide, foi eleito com 51,1% dos votos , contra 12% do democrata-cristão Leslie Manigat. O resultado aliviou a tensão política no país temporariamente.